10 profissões com futuro

O mercado de trabalho está em mutação e a tecnologia acelerou o aparecimento de novas carreiras e profissões até aqui inexistentes. Para os especialistas, o grande desafio dos profissionais que procuram uma carreira de sucesso é estar permanentemente à frente das empresas, antecipando as suas necessidades. Já não se trata de saber as profissões que hoje dão emprego, mas aquelas que daqui a dez anos serão vitais às organizações. Provavelmente nunca ouviu falar em nenhuma das que listamos a seguir. Mas entre elas pode estar o seu emprego... daqui a uma década.

Cerca de 60% dos melhores empregos dos próximos dez anos ainda não foram criados. É Thomas Frey, senior futurist (estratéga de inovação) do DaVinci Institute e um dos top Futurist Speakers da Google, que o considera um visionário no que toca à inovação e à identificação de tendências, quem o diz. Os estudos mais recentes focando os desafios dos profissionais e do mercado de trabalho à escala global parecem comprovar a sua teoria. Já ouviu falar de disruptores corporativos? Ou de conselheiros de produtividade, tutores de curiosidade, especialistas de crowdfunding, personal digital curators, alternative currency speculators, gestores de morte digital ou terapeutas de Digital Detox? Pois esteja atento porque a sua carreira pode passar por aqui.

A consultora organizacional americana Sparks & Honey conduziu um estudo onde identifica 20 carreiras promissoras para o futuro. Muitas ainda estão por criar, mas já é possível antecipar a sua relevância no contexto atual das empresas.?Durante décadas os modelos de carreira foram lineares e orientados para a estabilidade. Os jovens escolhiam uma carreira e seguiam-na a vida inteira, dos bancos da escola até à reforma. Esse modelo está ultrapassado. A tecnologia trouxe novos elementos à equação da empregabilidade e hoje as carreiras são complexas, fragmentadas, altamente especializadas, colaborativas. Na maior parte das vezes, “a nossa vida profissional é feita de um portfolio de várias micro-carreiras”, avança Frey e o sucesso e a solidez desse fio condutor passa sobretudo pela capacidade de antecipar as necessidades das empresas a médio prazo e especializar-se nessa área, a tempo de não perder o “comboio”.

Quem imaginaria, por exemplo, que em dez anos faria sentido a uma multinacional recrutar um consultor de produtividade. Alguém capaz de seguir as mais recentes tecnologias que podem ser adaptadas aos profissionais e empresas para otimizar o seu desempenho. Pois na lista da Sparks & Honey esta é uma das funções que registará maior procura na próxima década. Tanta procura como um personal digital curator (curador digital). Não sabe o que é? É alguém que pode pode fazer milagres pela gestão da tecnologia que utiliza diariamente. “Uma das profissões que pode registar procura nos próximos dez anos são os curadores digitais personalizados, especialistas que recomendam e asseguram a manutenção do nossa seleção de apps, hardware, software e fontes de informação, de acordo com a nossa personalidade e carreira”, explica o estudo que elenca outras profissões igualmente emergentes (ver caixa). Com este estudo, a consultora organizacional cujo foco é promover uma eficaz ligação entre a tecnologia e o factor humano nas empresas, quer apoiar a orientação dos profissionais e chamar a sua atenção para o imenso leque de novas carreiras que a tecnologia está a potenciar.

10 profissões com futuro:

1. Consultores de produtividade. Com o crescente foco na produtividade, aumentará a procura de profissionais capazes de seguir as mais recentes tecnologias que podem ser adaptadas aos profissionais e empresas para otimizar o seu desempenho.

2. Curadores digitais, especialistas que recomendam e asseguram a manutenção do nossa seleção de apps, hardware, software e fontes de informação, de acordo com a nossa personalidade e carreira.

3. Gestores de 'morte digital', especialistas capazes de criar, gerir ou eliminar conteúdos online de utilizadores falecidos.

4. Disruptores corporativos, especialistas contratados para combater a rigidez das hierarquias organizacionais e estimular um ambiente de startup, informalidade e inovação.

5. Tutores de curiosidade. Um coach pessoal que não só fornece aos demais inspiração e conteúdos capazes de estimular a sua curiosidade, como ensina a arte da descoberta de conhecimento.

6. Alternative Currency Speculators. À medida que as bitcoin e outras moedas virtuais ganham destaque, aumentará a procura de formas alternativas de arbitragem.

7. Especialistas em crowdfunding, especialistas em plataformas de crowdfunding capazes de promover e captar investimento para projetos nas várias plataformas disponíveis.

8. Operadores de drones, sobretudo os que tenham experiência em operar drones em contextos urbanos.

9. Consultores de privacidade, especialistas capazes de identificar vulnerabilidades ao nível da segurança, seja, elas pessoais, físicas ou informáticas.

10. Coaches de Skype, são consultores de carreira especializados em preparar e ajudar os profissionais a adaptarem-se a situações de entrevista remota ou video conferência, seja com treino de etiqueta, coaching ao nível da apresentação ou competências comunicacionais.

por Cátia Mateus

in Expressoemprego.pt, 27 Agosto 2016

Leia Mais

Currículos criativos e originais? 6 Portugueses mostram como se faz

Vemos e lemos em todo o lado que hoje em dia a forma como escrevemos o nosso CV é determinante para as hipóteses que temos em ser ‘vistos’ por um recrutador.

Assim sendo, a criatividade e a originalidade nos formatos de currículos é fundamental para conseguirmos transmitir as nossas competências de melhor forma a quem apenas nos conhece por essa via.

Temos de jogar todos os nossos trunfos para ter a hipótese de nos darmos a conhecer pessoalmente. Então, como conseguir fazer um currículo original, criativo e que se diferencie dos demais? Não te vamos dizer como o farás, mas apresentamos-te aqui 6 exemplos de CV’s originais e criativos feitos por portugueses.

1. CV sobre rodas “Cv over wheels”
Este projeto chegou sob a forma de um vídeo original, tendo por base a criação de curriculum diferente do habitual: o Ivo André imprimiu um curriculum em tamanho XL e passeou-o numa bicicleta nas ruas.

 

2- CV – Quem é Quem – Orlando Andrade
O Orlando fez  o seu CV como sendo um vídeo de apresentação baseado no jogo “Quem é quem?”. Esta forma inovadora de se apresentar às agências e potenciais empregadores, tornou-se viral, atingindo mais de 100 mil visualizações. Vê o vídeo:

 

3. O CV doce de Patrícia Cordeiro
A Patrícia Cordeiro deitou as mãos à obra e criou um CV juntando uma boa dose de chocolate. Enviou o seu currículo sob a forma de invólucro de uma tablete de chocolate e viu a sua ideia invadir as redes sociais e até mesmo conseguir ser entrevistada em vários meios de comunicação social.

cv doce

 

4. A Sofia Mesquita desenhou o seu Cv no Facebook
Porque não usar o Facebook para fazer o nosso CV? Foi o que Sofia Mesquita pensou quando literalmente desenhou o seu Cv como de uma página de perfil de Facebook se tratasse. O output deste projeto foi um vídeo com mais de 90 mil visualizações.

 

5. Website 360º de Nelson Chantre
Já o Nelson Chantre expôs as suas competências de Design, 3D e Vídeo, com o desenvolvimento de um site. Acabou por arranjar uma forma criativa e original de expor o seu portfolio online. Podes ver a ideia do Nelson aqui.

 

6. O Vídeo Cv de Francisca Menezes
Tendo enviado imensos Cv’s sem resposta, a Francisca teve que optar pela diferença, que no caso dela foi fazer um Cv em formato de vídeo. No segundo dia já tinha mais que 5 mil visualizações.

 

In http://manda-te.com/, 7 de Março de 2014

Leia Mais

5 Red Flags That Make Employers Reject You

Ever apply for a job you think you're great for, only to never hear back? Or have you ever walked out of an interview feeling excited and then find out the company hired somebody else?

These scenarios happen for a lot of different reasons. While it’s not always in your control, there are some key areas that you do have control over that can often be the deciding factor.

This article will walk you through the most common mistakes that might be costing you the job.

 

1604071009404329-5_red_flags_that_make_employers_reject_you

 

 

 

 

 

 

 

 

1. You Made a Mistake on the Job Application

Not everyone is detail-oriented by nature, but companies expect you to be when it comes to job applications.

Think of it from their perspective…

Your application is the first thing they see. They haven’t talked to you yet and they don’t know the quality of your work or anything else about you.

If your application is sloppy and contains mistakes, they’ll assume the rest of your work does too. Employers want to hire somebody who is careful and focused, not rushed and mistake-prone.

Take your time and go slow with your job application to make sure you give a great first impression.


2. You Submitted a Generic Resume

Here’s how the typical hiring manager or recruiter reads your resume…

They sit down with a copy and they pull out the job description. They’re going to compare the two documents side-by-side, looking for overlaps.

They might be so familiar with the job description that they don’t need to look at a physical copy, but the comparison is still being made.

They want to see evidence that you can come in and perform this job specific job with the skills you already have.

Most job seekers look at their resume in a vacuum when writing, and try to show off their most impressive work in general.

That can be a great secondary goal, but your priority should be to show what’s most relevant for the specific job.

Make your resume about them, not about you, and you’ll receive far more interviews.

You can do this by tailoring your resume for each position. Sit down with the job description and write your resume to show as many similarities and overlaps as possible. Focus on relevancy before you focus on being impressive.


3. You Didn't Seem That Interested in the Job

Tailoring your resume and submitting a clean job application is a great start to showing that you’re interested in the company.

In the interview itself, there are a few other areas to be careful of too…

Not knowing enough about the company is a big tipoff that you didn’t spend time preparing. They see that as a lack of interest.

To put their mind at ease in the interview, review the company website and get familiar with their story.

What's their mission or goal? How do they make money? Who is their typical customer?

Knowing this will help you give impressive answers to interview questions like, “What do you know about us?”

Another benefit of this is when it comes time to ask questions of your own, you’ll have a lot more info to base your questions on.

Here’s an example of something you could ask to sound impressive: “I read on the website that your customers are mostly small startups and local businesses, why do they choose your service?”


4. You Weren't Confident in the Interview

If a company reviewed your resume and invited you to interview, they must have seen something they like in your background. Right?

So walk in confident and act like you know you can deliver what they need in this role.

If you hesitate in the interview and don’t seem fully confident that you can perform the job, why would they hire you?

I recommend you prepare good answers for any questions that require you to brag about yourself.

Here are a few examples of questions you should be ready for:

  • What accomplishment are you most proud of?
  • What’s your greatest strength?
  • Why should we hire you?
  • What’s a recent challenge you’ve faced and what was the outcome?


5. You’re a Flight Risk

Regardless of how talented you are, companies are not going to hire you if they think you’re going to leave after 6 months.

There are a few mistakes that will give them this impression.

If you’ve made frequent job changes in your past, make sure you have a good explanation for each. You need to provide a convincing answer when they ask or they will worry about it happening again.

Also, be cautious of showing too much interest in only the company, as opposed to the position itself.

It’s great to seem interested in both, but show a bit more excitement about the job if you can.

You’re talking to a hiring manager who handles one area most likely.

If you only seem interested in the company they’ll worry that you just want to get your foot in the door with this company, but the day-to-day work won’t interest you.

That means an increased chance you’ll leave, ask for a transfer, etc.

Also be careful with the questions you ask. If you seem too focused on a future promotion, or something the role doesn’t directly offer, you’ll scare the company off.

For example if a job is an individual contributor role and you ask multiple questions about future leadership opportunities, the hiring manager is going to worry that you won’t be happy for long.

Even if you’ve shown you can perform the job, they might not hire you.


Conclusion 

As a final thought, remember that nobody gets a callback from 100% of the companies they apply to. And nobody gets an offer from 100% of their interviews.

Don't get discouraged if a couple of companies aren’t interested.

Focus on the impression you're giving and the things that you do have control over, repeat the process and you will get the result you want.

 

Artigo por Biron Clark, Interview Sucess Formula Founder

in http://www.social-hire.com, 07 Abril 2016

Leia Mais

5 Mistakes People Commonly Make in Answering Questions in Job Interviews

In helping you prepare for your next job interview, I wanted to relate the most common mistakes candidates make when giving answers to questions during job interviews:

Answering in a generic manner

In answering interview questions you should provide vivid examples. You could probably get by with an answer that at least referred to the organization or yourself. But when you give an answer that sounds like a prepared response, it bombs! An example of a generic sounding answer would be, “I work well as part of a team,” and “I’m very interested in the kind of work your company does.” By being well prepared for your job interview, having done all your research, you can avoid this mistake.

Not giving a straight answer

Some candidates present themselves like politicians by not being able to give a straight answer. If you don’t understand the question, ask the interviewer to please rephrase or clarify their question. Repeat the question in your own words then answer as accurately as you can. When you’re finished, you can ask, “I’m not sure if this answered your question. Was there something I missed or left out?”

Answering before thinking it through

In all likelihood you will face interview questions that you’re not prepared for. Before responding, you need to think the question through and devise a good answer. If you speak before thinking you may end up sputtering out “ums” and “ughs,” which is not a good sound. Or you could give a totally random answer that does not pertain to the question. What should you do in this situation? Calm down and take a deep breath. It’s perfectly appropriate to say, “That’s a good question; I’ll just take a few moments to collect my thoughts.” If you are still unsure about your answer, try breaking it down into segments, beginning your answer with something you feel confident about.

Providing lengthy answers

In answering an interview question you should take anywhere from twenty seconds to two minutes. Never give one-word answers, like “yes” or “no.” This is your chance to shine and to do so you must answer appropriate questions in a thorough manner by providing important details. When you sense that you’ve said enough, stop yourself. But if you feel there’s more, you can say, “If you want more details, I can provide them.” Most likely the interviewer will simply move on. When answers go on too long, interviewers have a tendency to just to zone out.

Not having a conversation

The purpose of an interview is to establish a relationship, to have a rapport between you and the person interviewing you. If they’re just blasting questions at you one after another, you won’t be doing yourself any favors if you can’t turn this into a conversation. If you are asked, “What was the most challenging problem you had to overcome on a project?” when finished answering, you can ask, “What kinds of challenges do people face in their jobs here?”

When you provide strong answers to interview questions, you leave a good impression. You need to practice before you head out for the interview by researching the company online so that you can be ready with brief answers that in fact answer the questions posed to you in the interview.

Artigo por Alan Carniol, Interview Sucess Formula Founder

in http://www.social-hire.com/, 27 Janeiro 2016

Leia Mais

Como ganhar confiança para a Entrevista em 2 minutos

Muito tem sido escrito relativamente ao poder que a mente tem sobre o nosso corpo, mas já sabia que as nossas posturas também influenciam o nosso estado emocional?

Imagine que através da sua postura conseguia atingir um estado mais confiante, focado e tranquilo, imediatamente antes de uma entrevista de trabalho, de uma reunião determinante, ou de uma conversa mais difícil com um familiar ou amigo.

Que impacto teria na sua vida?

O estado de espírito é afectado pela sua postura

É isso mesmo. Existem posturas, gestos e expressões faciais que têm o potencial para nos colocar num estado emocional mais habilitador. A ciência revela que a Linguagem Corporal é uma autoestrada que nos permite alterar o nosso estado emocional, em apenas 2 minutos, para que possamos manifestar mais do nosso potencial e das nossas competências de comunicação, tomar melhores decisões e criar novas e melhores alternativas, em especial nos momentos mais desafiantes. Só depende de nós mesmos!

Num estudo da Universidade de Harvard, conduzido por Amy Cuddy, chegou-se à conclusão que a Linguagem Corporal é capaz de alterar a nossa bioquímica, em apenas 2 minutos. O estudo concluiu que, após a realização de posturas poderosas, em que as pessoas se expandem, ou fracas, em que as pessoas se fazem mais pequenas do que aquilo que realmente são (ex.: ombros rodados para a frente, braços cruzados e queixo a apontar para baixo), existiram mudanças significativas ao nível de duas hormonas, a testosterona e do cortisol. A testosterona é conhecida como a hormona da dominância e está associada a estados de confiança e assertividade. O cortisol, por outro lado, é conhecido como a hormona do stress e está associado a uma incapacidade para nos adaptarmos em situações altamente stressantes. Quando as pessoas adoptaram posturas poderosas, a concentração da hormona testosterona subiu e a concentração de cortisol desceu. No caso das posturas fracas, aconteceu precisamente o contrário, desceu a testosterona e subiu o cortisol. Tudo isto em apenas 2 minutos!

Existem posturas podem aumentar a sua auto-confiança no dia da entrevista

A pergunta que se deve estar a colocar é… se é assim, que posturas poderosas são essas?

Vou partilhar consigo duas das posturas mais habilitadoras que tem ao seu dispor. No entanto, deixe-me dizer-lhe que deve evitar realizar estas posturas quando está na companhia de outras pessoas, dado que são muito dominantes e podem ser percepcionadas como agressivas. Deve manifestá-las quando quer transformar um estado emocional mais débil e precário, num estado emocional mais poderoso de recursos (ex.: antes de uma entrevista de trabalho, antes de uma apresentação em público, antes de uma conversa mais desafiante com alguém, etc.).

A Postura em V

confiança

 

A primeira postura que pode utilizar é a do “V”, ou seja, braços esticados e mãos acima da cabeça, peito aberto, queixo a apontar ligeiramente para cima, pernas afastadas e ponta dos pés a apontar para fora. Mantenha a postura por 2 minutos e respire profundamente. Procure olhar para cima e manifestar uma expressão facial de felicidade. Se quiser aumentar a intensidade da experiência pode ouvir uma música com ritmo e com uma letra positiva que o entusiasme e estimule. Gosto particularmente de escutar “A Beautiful day”, da India Arie, “Don’t Worry be Happy”, do Bobby McFerrin” ou “I Gotta Feeling”, dos Black Eyed Peas”. Funcionam bem e possuem a letra e o ritmo adequados. Sinta-se livre, no entanto, para escolher a sua música preferida!

A Postura do Orgulho Pessoal

confiança

A segunda postura é a do “Orgulho Pessoal”. Nesta postura o seu tronco está direito, as mãos seguram as ancas, o peito está aberto, o queixo aponta ligeiramente para cima, as pernas estão esticadas e afastadas e as pontas dos pés apontam para o fora.

Pode utilizar as duas posturas isoladamente e de forma mais estática, durante pelo menos dois minutos, ou realizá-las intervaladamente, num ritmo mais dinâmico, como se fosse uma dança, durante dois ou três minutos. Nos meus Workshops e Cursos, peço frequentemente aos participantes para recordarem um problema e para assumirem uma postura mais fraca, enquanto procuram sentir aquilo que sentiram, nessa situação-problemática (ex.: ansiedade, tristeza, etc.). De seguida, guio-os através de um conjunto de posturas poderosas durante alguns minutos. Por fim, enquanto realizam as posturas habilitadoras, peço-lhes para procurarem sentir novamente a emoção negativa anterior enquanto realizam a postura habilitadora. Invariavelmente a resposta é negativa. Conseguem recordar-se da situação, mas não conseguem sentir a emoção negativa que lhe estava associada. É o sistema de bio-feedback é ação.

Por isso, já sabe, da próxima vez que se sentir menos confiante e stressado, utilize a “Técnica das Posturas Poderosas” e experimente na prática os seus resultados.

Artigo por António Sacavém

in http://blog.alertaemprego.pt/, 4 Novembro 2014

Leia Mais

6 formas de se destacar no emprego

Se pretende ser bem sucedido no seu emprego, tem que saber como se destacar na empresa.

Num ambiente empresarial cada vez mais competitivo, todos querem sobressair e avançar na carreira. No entanto, a falta de recursos dificulta esta tarefa, pelo que o trabalhador tem que se destacar pelo esforço, dedicação e paixão. É importante, também, que tenha espírito de liderança e apoie os seus colegas.

A Forbes explica como pode avançar na carreira sem ter que pedir uma promoção.

1. Influencie silenciosamente

Os funcionários dividem-se em dois grupos primários: os faladores desorganizados e os influenciadores silenciosos.

Os influenciadores silenciosos tendem a inspirar maior curiosidade, já que são chamados para os projectos mais importantes, trabalham afincadamente e não se distraem com conversas.

Para ser bem sucedido como influenciador silencioso deve saber quando interferir e dar ideias. Fale somente quando tem a certeza de que o seu ponto de vista trará sucesso à empresa.

Para se destacar dentro da empresa, mantenha-se silencioso até ser a altura certa e agarre as oportunidades (por exemplo: projectos grandes). Seja bem sucedido e impressionará as chefias.

2. Faça mais do que aquilo que esperam de si

Olhe à sua volta. O que pode fazer que não faz parte da descrição da sua função? Expanda a sua rede de influência para além do seu departamento.

Mostre pro-actividade (a característica mais importante na selecção de candidatos). Pode ajudá-lo a ser seleccionado para uma promoção.

A forma mais eficaz de expandir a rede de influência é ajudar os outros a desempenhar as suas funções. Esteja atento ao papel de cada um e ao que é esperado dos mesmos. Ajude-os a superar as expectativas e verá que as chefias reparam em si.

3. Ajude os seus colegas a serem bem sucedidos

Ajudar os colegas a ter bons resultados é um sinal de auto-confiança, espírito de equipa e liderança. Mostra que sabe fazer o seu trabalho e ajudar uma equipa… As chefias irão lembrar-se do seu nome quando procurarem um novo supervisor/coordenador de departamento.

Lembre-se, também, que está a construir a sua rede de networking. É possível que um dos colegas que ajudou o convide para projecto mais aliciante.

Por outro lado, estes colegas podem falar positivamente de si (e da sua elevada produtividade) aos quadros altos da empresa.

Atenção, deve ajudar por motivos altruístas, e não só para se destacar na empresa. É fácil ver a diferença entre os dois, e as chefias não gostarão da falta de honestidade.

Aproveite para adquirir conhecimentos dos seus colegas. Ajude e seja ajudado.

4. Não participe em mexericos

Embora seja importante estar a par das novidades do escritório, não se deixe envolver em mexericos, mesmo que lhe proporcionem o acesso aos decisores.

Participar neste tipo de conversas dar-lhe-à uma imagem negativa. As chefias não irão confiar na sua discrição, nem lhe darão lugar nos projectos mais importantes.

Foque-se no crescimento da sua equipa, na inovação e em agarrar oportunidades no momento ideal.

5. Aposte na novidade

“Jogar pelo seguro” dificulta a tarefa de se destacar na empresa. Para ser um líder, deve desafiar o status quo, de forma a melhorar a performance da empresa e gerar resultados positivos.

Pode procurar modificar alguns procedimentos, ou apostar em novos Clientes, mas tenha em atenção para não desrespeitar a cultura empresarial.

Demonstre a sua coragem e pro-actividade.

6. Mostre a sua personalidade

Acima de tudo, é importante que seja autêntico. Se não tiver que se preocupar em “encarnar uma personagem” terá mais tempo e à-vontade para completar os 5 passos acima descritos.

Divirta-se com o trabalho e deixe transparecer a sua ética e liderança.

Para se destacar na empresa não precisa de fazer auto-promoção. Aprenda tudo o que puder sobre a organização, ajude os outros e mostre resultados. Certifique-se de que a empresa é bem sucedida e será mais valorizado.

in http://blog.alertaemprego.pt, 11 Dezembro 2013

Leia Mais

Como captar a atenção do recrutador na carta de apresentação

Existe uma frase “mágica” para captar a atenção do recrutador. E qual é ela?

Existem inúmeros artigos online a cerca de cartas de apresentação: como devem ser redigidas, qual a estrutura, conteúdo… Enfim, uma panóplia de informação útil para as bases de como escrever a carta perfeita. No entanto, existe uma frase “mágica” para captar a atenção do recrutador. E qual é ela?

Muito simples: um P.S.

Pensa bem: quantas vezes ignoraste um P.S.? Provavelmente nenhuma! Um P.S. desperta a curiosidade natural da essência humana. Na realidade, esta não é mais do que uma pequena estratégica de marketing pessoal que podes usar em teu proveito.

Então! Onde, e o que colocar no P.S.?

Antes de mais, a carta de apresentação deve ser o mais curta e concisa o possível. Deves apresentar-te (dizer quem és, o que fazes) e destacar as aptidões que fazem de ti o candidato ideal. Passando esta parte, a ordem normal é fechar a carta “agradecendo a atenção dispensada na candidatura” e colocação de assinatura (muito importante)!

O P.S. deve ficar imediatamente abaixo da assinatura, mas bem visível. Para esse efeito, podes utilizar o “negrito” ou uma cor e tipo de letra diferente.

Este é o local ideal para reforçar como estás entusiasmado com a oportunidade de emprego/ empresa em questão e onde pode deixar, de forma destacada, o teu contacto.

Segue um exemplo:

“Não poderia deixar de dizer o quanto estou entusiasmado com a oportunidade XPTO, principalmente porque surge na empresa XYZ com a qual me identifico (culturalmente/produtos e serviços…). Para que lhe possa demonstrar o porquê de ser o candidato ideal, por favor, contacte-me para 9xx xxx xxx. Não se vai arrepender!”

Tal como a carta de apresentação em si, o P.S. também tem de ser personalizado. Naturalmente não vai referir a empresa caso seja um anúncio anónimo. Convém também ter em atenção o compromisso que estás a assumir. Se a empresa estiver identificada, faz “o trabalho de casa” e pesquisa informação, tenta perceber quais são os pontos em que estás perfeitamente alinhado. Caso a empresa não esteja identificada, foca-te nos critérios do anúncio e como o teu perfil encaixa neles. O importante é conseguir a entrevista e mostrar pessoalmente a confiança e entusiasmo que mencionaste no P.S..

Artigo por Elsa Soares

in http://manda-te.com, 6 Novembro 2015

 

Leia Mais

Your Career’s At Stake, Don’t Make These Mistakes on Your Resume

Por Rachel Schwartz

You only have one chance to make a great FIRST impression. This is so true in every aspect of life. It's especially true when you're applying for a job. Over the last ten years of creating professional resumes, I have seen first hand so many simple mistakes that literally ruined a candidates chance at a great career. Mind you, these are smart, capable and well experienced candidates. Whether you like it or not, the first impression an employer has of you is based on your resume.

So I decided to share the wealth, and put together a list of the top 5 most important do's and don'ts you should look out for when creating your professional resume.

#1 The Summary- When you write your summary keep it short. There is no need to go on about all the amazing things you would like to do. In fact, writing the summary is not always necessary, but if you do no more than three sentences is necessary to explain : A- What you want to do. B- The skill-set you have to get it done. C- What positive impact you feel you bring the company. Don't embellish your qualities, let your experience do the talking.

#2 Date Your Experience- What you have done and where you have worked is perhaps the most valuable piece of information on a resume. There is no greater education than experience. At the same time, the hiring manager needs to see how long you worked in the listed locations. Always include the dates you started and ended the job. And by the way, never leave a gap in employment on your resume without some explanation. If you took off to take classes, volunteer or anything else, always explain that. One of the worst signs on a resume is a candidate who leaves a gap in their experience.

#3  Don't Write "References Provided Upon Request! - You have just decreased your chances significantly. We live in a time where everyone wants instant information. When you submit your resume, give the hiring manager as much information as possible so he or she can access everything  on his/her own. Any smart company will want references and if they have to call you for them, you are just putting one more step in your own way. Don't list more than three or four, but provide easily reachable and reliable references for them to contact.

#4 List Your Hobbies - This is something which many people overlook simply because it has nothing to do with how you work- or at least you think so. Showing what you do in your spare time is very valuable and extremely telling to an employer. If you are a volunteer fire fighter, EMT or anything like that, you possess a tremendous quality of looking out for others. Aside from skill, working in a team requires candidates that look to help others beyond themselves. If you enjoy sports, hiking, fishing etc. it shows you are active and in shape. Your physical shape most certainly effects how your work.

#5 Use Spellcheck! - It is truly amazing how many spelling mistakes are found on resumes in today's generation. You don't even need to know how to spell anymore, just use spell check! There is perhaps nothing worse on a resume then spelling mistakes. It doesn't just show a lack of proper accuracy, it shows you aren't diligent enough to simply look over your work, it shows you are not driven to make a professional impression. No matter what you list on the resume, NEVER leave spelling mistakes. If you are not confident enough to rely on your own capabilities have someone else read it over, but never have a hiring manager open your resume to see a bunch of red lines!

in https://goo.gl/3X2pKn, 1 Dezembro 2015

Leia Mais

Como se destacar em tempos difíceis

Por Sofia Esteves

O fantasma da demissão anda rondando boa parte dos escritórios ultimamente. O que é bastante natural diante do atual cenário de desafios econômicos. Em ocasiões como essa, as organizações reavaliam diariamente seus processos e entregas. A palavra de ordem é "otimização” - de recursos e da gestão em si. Quando os profissionais me perguntam o que devem fazer em cenários como esse, respondo: use toda a sua energia para se destacar e se tornar imprescindível.

A melhor maneira de se sobressair é entregar resultados excepcionais. Para isso, você vai precisar ser o mais produtivo possível. Então, nada de se dispersar em atividades pouco agregadoras, em conversas paralelas ou em assuntos pessoais. As reuniões e discussões com colegas têm que ter foco no trabalho. Nessas horas, participar de movimentos pessimistas e fazer mau uso do tempo só atrapalha.

Aproveite para avaliar se está sabendo administrar seu tempo da melhor maneira e procure ser bem disciplinado em determinar a hora certa para fazer cada atividade. Isso será bem importante porque vai ajudá-lo a entregar os resultados esperados e também a liberá-lo para envolver-se em outros projetos. Com maior objetividade, sua entrega não só ficará mais ágil, como seu tempo também poderá ser utilizado de maneira mais interessante. Procure conhecer o plano estratégico da empresa e participar de projetos ligados a ele. Pode ser um projeto de inovação, corte de custos, entrada em um novo mercado ou lançamento de um novo produto, por exemplo. Se fizer parte dos times que entregam esses resultados, também será visto.

Além disso, é fundamental estabelecer uma relação de confiança com o seu chefe. Ele precisa saber que está disposto a trabalhar junto com ele para garantir que a empresa atravesse esse período obtendo resultados acima do esperado. Disponibilizar-se para contribuir em outros projetos relevantes pode ser um ótimo exemplo de atitude diferenciada. Faça isso em vez de levar queixas e reclamações. As lideranças já estão cientes dos desafios vividos internamente, não precisam de lembretes. Elas precisam, sim, é de uma equipe disposta a superar as dificuldades.

Agora e durante toda a carreira de quem deseja ascender profissionalmente, não se trabalha pelo salário que se ganha no presente, mas com foco, empenho e dedicação compatíveis com o salário e cargo que se deseja ter no futuro. É com uma postura assim que uma pessoa se destaca dos demais e consegue chegar onde deseja.

Seguindo essas dicas, há grandes chances de as turbulências atuais não lhe atingirem. De todo o modo, é interessante ajustar o orçamento pessoal, cortar gastos supérfluos e fazer pequenas ou médias economias dentro de suas possibilidades. Isso te ajudará – independente de qualquer coisa - a enfrentar esse período com mais tranquilidade.

Todas as ações sugeridas aqui exigem um esforço maior agora para serem incorporadas à rotina, mas trarão benefícios para o resto da sua vida. Pode acreditar!

in https://goo.gl/OdVFU4, 11 Novembro 2015

Leia Mais